terça-feira, 22 de abril de 2008

De volta!

Então, devido a eventualidades ótimas (ups, início de namoro ^^) demorei pra postar...
Mas tô de volta!

Como se passou muito tempo, vou me dedicar a última semana de aula e suas principais pérolas.

4ª Feira Méier- Vila da Penha:

Chego lá mais cedo para pegar meu pagamento (pobre é um animal desconfiado, né?) e já ficar de consciência tranquila para continuar meu trabalho, quando uma grande amiga minha e também professora me liga perguntando se poderia substituí-la em duas turmas de Fundamental - 5ª e 6ª séries no ... RECREIO.
Primeiro e antes de mais nada, gostaria de manifestar alguns pensamentos:
- RECREIO = terra de emergentes
- emergente = gente sebosa, em minha opinião, do pior tipo possível, normalmente
Pode parecer preconceito, e o que for, mas definitivamente não gosto de pessoas que, por morar em uma porra de condomínio e serem limitados a marcas e clichês se consideram donos do mundo. Óbvio que existem raras exceções.
Mas então, como esta minha amiga já bem sabia de minha linha de pensamento, disse que seria uma ótima experiência (dito e feito) para o meu lado profissional.
Mas aí, quando ainda estava entrando na sala de aula me deparei com uma cena grotesca:
Paredes cobertas de trabalhos de biologia sobre pênis! Com o impacto, logo soltei (esquecendo que estava ao telefone):

- Que porra é esta? Tem um monte de piru na minha sala?
De cara um dos alunos soltou alto:
- Sabia que ele ia soltar uma destas! - como se tivesse ganho uma aposta.
E a professora ao telefone atônita:
- Porra, tô passando mal aqui, te falando das aulas no Recreio e você diz que tem um monte de piru na sala? (e rindo, a escrota)
De cara quando reparei a cena fiquei roxo.
Mas então pra descontrair (mais?) o ambiente, logo comecei a zoar os pênis "adoecidos" das fotos. Principalmente um que parecia um tatuí. Se algém de biologia ler este, explique-me o que causa pênis de tatuí. Espero nunca ter este problema estranho.

Mas a aula foi bem forte, rápida e ignorante. Perguntas rápidas para respostas complexas, porém didáticas. Acho que este molde de explicação está ajudando mais eles.


5ª Feira - Méier - RECREIO:

Inicialmente gostaria de dizer que a primeira impressão que tive foi excelente. Excelente porque, pela primeira vez, daria aula de jaleco! Cara me senti sexy demais naquele negócio! Dá muita moral!!
O melhor foi ver a cara de espanto dos alunos ao verem um sujeito novo pra caralho entrando na sala de Fundamental e DE JALECO! Cheguei na sala estilo Godfather: impiedoso.

5ª série:

Imaginem Malhação. Alguns nerds, o gordinho metido a pegador, o pegador, as patricinhas que fingem pureza, e os mauricinho, filhinhos de papai que se acham o máximo. Só faltava o anúncio da Globo para aquela sala. E era uma 5ª série! E pior. Todos funkeiros com apelidos de personagens de filme de tráfico.
Como estratégia didática, utilizei as diferentes formas de evolução das favelas do Rio para aplicar a matéria. mamão com açúcar, apesar dos estresses típicos de Fundamental. Ganhei a turma, acredito e voltaria a dar aula para eles. Os emergentes são menos aborígenes do que pensei, imaginando...

6ª série:

Errado. É uma escala involutiva, só pode ser! Antes de mais nada gostaria de avisá-los que o palavrão mais forte que falei em uma turma de Fundamental foi "porra" e, mesmo assim, porque me tiraram do sério. Esta sala deveria ter um apelido: INFERNO.
Primeiro:
* Entro na sala com cara de ódio (já sabia um pouco da fama da etnia emergente pré adolescente)
Segundo:
* Em voz alta digo:
- Bom dia! Meu nome é Rômulo. (silêncio)... - Mas pode me chamar de Romulooww.
(ESTA É A PARTE QUE ME ARREPENDO)
A turma de bárbaros saiu do eixo...
e saiu mais do eixo....
e mandei calar a boca.....
e ninguém calou.....
e fui ficando puto.....
e mais puto......
e pedi silêncio batendo no quadro.....
e cagaram pra mim......
e gritei sem soltar som a seguinte reza: (tirem as crianças da frente do pc)
- Seus filhos da puta playboyzinhos de merda! Eu quero dar aula, porra! Não sou que nem o filho da puta dos seus pais que devem dar meter no cú dos outros pra pagar esta porra deste colégio! Puta que o pariu!

Metade da turma me viu gesticulando esta reza como o Chaves e ficou quieta. A outra metade que entendeu a reza me olhou assutada. Ótimo! Ganhei...5 minutos de folga! Vou tentar dar aula!
Aí consegui. Por suados 42 minutos. Minha voz, que aguenta turmas de mais de cem pessoas por mais de 6 horas acabou em 42 minutos. Aí um sujeito playboyzinho me levanta, sem minha permissão e diz assim:

- Aê, fessô! Vou dar uma mijada, valêo? E coçou o saco naminha frente e foi andando.
De cara e em alto e bom tom (o que restava) disse:
- PODE IR, MAS NÃO VOLTA.
A turma, filha da puta, ficou em silêncio pra ver no que dava. (emergentes queimam professores)
Aí o emergente disse:
- O SENHOR SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO? MEU PAI TRABALHA NA REDE GLOBO!
Nestes momentos que pedem um "foda-se" redondo, deve-se manter o profissionalismo. Respirei, e falei em tom ártico (com tom de foda-se também):
- NÃO GOSTO DA REDE GLOBO. PODE SAIR DA SALA.

A turma, imediatamente ficou em silêncio. Pelo menos por alguns minutos. No outro tempo e comigo já sem voz, o garoto globinho ficou na dele, sem querer aparecer. Pela mudança de comportamento, fiz um breve elogio a ele na frente da turma. Eles não tem culpa de ter pais que só servem para dar carteirada nos outros.
Ao menos, alguns alunos se interessaram e gostaram da aula. Menos pior.

A partir desta aula, uma coisa incrível aconteceu: Não consegui ficar de pé todo o tempo em nenhuma aula. Todos os alunos do pré vest de Rio das Pedras de noite aos alunos do Fundamental de Brás de Pina se assustaram com meu estado. Foi com certeza, uma experiência marcante a aula para os emergentes.

Na próxima..... que me aguardem..... vou fazer o sangue pobre deles emergir de novo. Playboyzice pra cima de mim de novo é o caralho! \o/

3 comentários:

Talvez eu conte... um dia. disse...

so você mesmo pra me fazer rir... a do piru, foi oteemaa... auhauahua

Luifel disse...

Kra, teu blog é divertido pra caramba meu! Vc consegue fazer da chatice da profissão que vc tem algo divertido.

Valeu, vei!Abç.

Fernanda Elisa disse...

É...
Gosto de passar aqui sempre pra ver como anda a situação real das salas de aula daí do Rio.
Aqui em São Paulo não anda muito diferente não.
...Temos que começar a pensar, e "pensar bem pensado" em como conduzir as gerações que cadavez mais são influênciadas pela realidade de vida deles. Complicado.
Mas não custa tentar!

Sorte!
E sucesso!